Arquivo da categoria: Alimentação

Cozinhando para crianças (não para bebês)

Estou naquela fase de tentar ensinar o Pedro a “comer as coisas certas”, para mim é uma tarefa árdua porque eu nunca aprendi a comer as coisas certas.

Então estou aprendendo com o Pedro, mais uma vez!

Fiz questão de frisar que esse no título que vamos cuidar de comidas para crianças, porque ao pesquisar me deparei com várias matérias sobre papinhas, que não são o objeto deste post.

Compartilho os links que mais gostei nessa busca:

Matéria da Revista Pais & Filhos

dicas de livros do blog Bistrozinho

livro Culinária Passo a Passo para Crianças

livro “Meu Lindo Livro de Receitas”

livro “Receitas Mágicas para Crianças Espertas”

O Livro de Receitas do Menino Maluquinho

Deliciosos e Disfarçados dica do site Panelinha

 

 

 

 

img_2296

Uma boa alimentação inicia com um bom café da manhã!

 

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentação, Crescimento, Crescimento (dos pais!), Dica

Sal é vilão também para os pequenos!

A ingestão excessiva de sódio entre crianças e adolescentes está associada a maiores riscos para hipertensão, especialmente em crianças acima do peso e obesas.

A conclusão é de um estudo americano realizado com participantes entre 8 e 18 anos, em um grupo no qual 1/3 se encontrava acima do peso ou era obeso. Níveis elevados de consumo de sódio foram significativamente associados com níveis pressóricos elevados entre aqueles acima do peso e obesos, mas não nos participantes de peso normal.

Os autores do estudo apontam que esses participantes com elevados níveis pressóricos  geralmente consomem tanto sódio quanto os adultos.

Por isso é bom continuar de olho nos rótulos dos produtos e lembrar que as quantidades apontadas como ideais consideram um adulto e não uma criança, conforme já havia chamado atenção no post link.

Tem coisa mais doce?

Tem coisa mais doce?

Fonte:

http://www.usatoday.com/news/nation/story/2012/09/17/high-salt-intake-in-children-linked-to-high-blood-pressure-study-shows/57792472/1

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentação, Saúde

Pequenos Chefs

O MAIOR ENSINAMENTO!

O MAIOR ENSINAMENTO!

Cozinhar, além de ser uma brincadeira divertida para as crianças, é também uma forma delas aprenderem coisas importantes como organização, higiene dos alimentos, matemática (pois precisam medir, pesar e dividir os ingredientes) e ampliar o paladar, conhecendo novos alimentos e novos sabores.

Cozinhar também pode ser uma boa solução para incentivar a criança a comer, já que após o preparo elas costumam experimentar os pratos, daí a importância de ensinar seu filho receitas saudáveis e nutritivas.

Qual a idade para começar? Não há uma idade determinada, mas é importante ficar claro que o fogão e os objetos da cozinha são responsabilidade do adulto. A complexidade das receitas também deve observar a idade da criança. Geralmente com 5 anos a criança começa a gostar de fato da função. Depois de ser alfabetizada, quando já pode ler as receitas, a brincadeira fica ainda mais legal, pois além da maior independência que a criança já possui, também incentiva a leitura.

Com 6 ou 7 anos, não lembro bem, ganhei um livro de receitas chamado “Broto Forno & Fogão”que era a coisa mais querida do mundo – aliás continua sendo, pois ainda tenho e ainda uso! As receitas além dos “ingredientes” e do “modo de fazer” também prevêem os “utensílios” que você terá que utilizar no preparo, facilitando a organização para o preparo das receitas e evitando que a gente tenha que correr atrás de um ou outro utensílio quando já está – literalmente – com a “mão na massa”.

Eu adorava fazer as receitas de biscoitinhos deste livro. E a brincadeira não acabava na cozinha, eu colocava eles em saquinhos plásticos com lacinhos de fitas coloridos e brincava de “lojinha”, vendendo eles na frente de casa numa “banquinha” que montava com uma amiguinha. Com o passar do tempo já tinha até uma freguesia – tios e tias que faziam encomendas – e eu achava aquilo o máximo!

Então está esperando o que?  ‘bora para a cozinha com seus pitocos!

P.S. Postei no meu outro blog – o “Coisinhas de Casa” – uma receitinha formidável de bolachinhas para fazer com as crianças!  Vai lá conferir : Bolachinhas de Queijo

Para meninos também!!!!!!!!!!!!!!!!

Para meninos também, é claro!!!!!!!!!!!!!!!!

3 Comentários

Arquivado em Alimentação, Brincadeiras, Diversão

Cuidados com os rótulos dos alimentos: são baseados em adultos!

Pois é, mesmo a maior parte dos alimentos infantis traz uma “Tabela Nutricional” baseada num adulto!

Não há lei que obrigue os fabricantes a adequarem os rótulos, conforme li na Revista Crescer deste mês (Julho 2012, folha 30) e muitos não o fazem!

Ou seja, o que você lê na Tabeça Nutricional dos alimentos vale para você, mas NÃO para o seu filho!

Para maiores informações e para mudar essa realidade, o Projeto Lancheira Saudável tem uma funpage no Facebook que indico seguir/curtir:
“Você tem o hábito de ler o rótulo dos alimentos? Sabe o que significam todas aquelas informações nutricionais? Entende qual a melhor escolha, comparando produtos e marcas diferentes? Saiba que você pode proteger seu pimpolho, de doenças provenientes do excesso de gorduras, sódio, açúcar ou aditivos químicos utilizados pela indústria alimentícia. Quer saber mais? Participe do evento lancheira saudável.”
A comida pode ser saudável, colorida e divertida!

A comida pode ser saudável, colorida e divertida! E os meninos ficam lindos!

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentação, Beleza & Saúde

Elisa Prenna e seu Chicafundó – amor, carinho e vida

O ano passado neste exato dia 25 de outubro estava nascendo o filho de uma grande amiga minha.

Sim, GRANDE, pois apesar de seus 1,50m (“uma fita métrica exata”, como faz questão de dizer, com orgulho), ela é – sem exageros – enorme, pois é “do tamanho do que vê e não do tamanho da sua altura!” E vê longe! Sim, enquanto alguns reclamam que não tem lugares legais na cidade, que Porto Alegre não dá mais e patatí-patatá, ela simplesmente age, trabalha – arduamente e com muito amor e paixão – e cria um dos lugares mais queridos e amados que existem: o Chicafundó!

Foi lá que fiz a última refeição antes do Pedro nascer e muitas das refeições de todo o período da gestação e amamentação do guri. Isso explica muito do porque dele nunca ter apresentado nenhuma dificuldade na adaptação a novos e diferentes sabores e também de eu ter sido uma muito feliz gestante e mamãe!

Fazia muitos anos que sempre ao provar algum de seus zilhões de fantásticos quitutes a incomodávamos: “Pô pequena! Tá na hora de abrir um restaurante!”, como se isso fosse algo assim super-fácil e tranquilo. Só que não é. Mais ainda quando se trata da querida “Baixinha” que só sabe fazer as coisas com muita dedicação e afinco. Ela é muito meiga e querida, mas pedir-lhe para fazer algo “meia boca” é ofensa. “Comprometimento” e “competência” estão na ordem do dia. Não consegue fazer nada que não traduza exatamente o espírito daquilo que ela quer  transmitir para o mundo: muito afeto e sabor. E dedicação dá trabalho, um trabalho visivelmente prazeroso, pois feito com muito amor!

Slowfood, Confortfood, ou sei-lá-o-quê, a verdade é que a cozinha da chef Elisa Prenna é uma forma bem genuína dela compartilhar com um número maior de pessoas o que ela e a família dela já dividiam com aqueles que desfrutavam de seu convívio : o prazer de fazer uma refeição onde a comida é boa demais e cada detalhe à mesa é feito com muito capricho, amor e carinho.

Quando uma pessoa nasce numa casa cuja cozinha é habitada por uma mãe sensível e amavél como só a Dona Carolina sabe ser e detalhadamente projetada e executada com a imaginação e o perfeccionismo do Dr. Prenna, o Professor Pardal em pessoa, tudo isso que você experiencia no pequeno-grande restô acontece com a maior naturalidade!

Por tudo isso, o “Bistrô da Elisa” não poderia ser diferente! E como gente querida tem imã, logo logo após sua estréia em campo o time foi complementado pelos também mui queridos e amados Mathias Moreno e Taci Correa. Consta que esta última encontra-se hoje em Paris e a última notícia que nos mandou é que depois do Chica, os bistrots da cidade luz perderam um pouco de seu encanto!

Parabéns Elisa pelo 1º ano do Chicafundó, o melhor lugar que existe para levar a familia, sentar com os amigos para jogar conversa fora e comer a melhor comida do mundo! A nossa família agradece do fundo do coração todo o amor e carinho que a tua família e a família-chica sempre nos dispensaram. A cidade agradece por tu existires e acreditares nela, tornando-a ainda melhor!

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo…
Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura…

O Guardador de Rebanhos, Alberto Caeeiro (Fernando Pessoa)

Tia Elisa e seu quindinzinho

Não conhece o Chicafundó??? Corrija este erro djá: http://www.chicafundo.com.br/

Este vídeo lindo explica bem melhor o que eu tentei dizer :

2 Comentários

Arquivado em Alimentação, Amigos

Indiada, adoooro!!!

Sou daquelas pessoas que não tem apenas a famosa “carteirinha da Funai” eu tenho o Passaporte! E já está com milhares de carimbos!

Por isso quando aceitamos o convite para passar o final de semana na Fazenda do meu Tio Luiz com direito a uma esticadinha para compras na fronteira COM o Pedro, o que significa viajar uns quase 800 km de carro num único dia com um nenê (?) de 10 meses, nem me abalei!

Compras em Rivera é um roteiro de índio, com nenê então que tem toda a função da alimentação e do trocar fraldas, o que dizer?

Porém, prevendo uma longa vida cheia de indiadas eu me preparei para isso mesmo antes dele nascer!  Como sou a pessoa mais organizada do mundo há mais de um ano eu já tenho um aquecedor de mamadeiras para carro, com mamadeiras e potinhos de papinha especiais que encaixam perfeitamente nele, tenho porta leite em pó com divisórias para colocar a medida exata de cada mamadeira (ou seja, perfeito para um final de semana “na estrada”), milhares de mamadeiras para não ter que me preocupar em limpeza  e esterilização durante a viagem,  uma garrafa térmica daquelas inquebrantáveis feitas especialmente para um momento desses e, é claro, uma bolsa térmica com espaço perfeito para acomodar toda essa bugiganga!

É óbvio que só me acho, mas não sou a mais organizada do mundo (a minha mãe é que é!) e, naturalmente toda essa infra na hora H não funcionou! E é óbvio também que nada funcionou por minha culpa, minha exclusivíssima culpa. Pois é, sexta a noite cheguei em casa “podre de cansada”, mal separei algumas roupas minhas e do Pedro, brincamos um pouco e desmaiei na cama. 15 para as 6h o Diego me acorda com a pergunta “E aí? Vamos?”, parecia que eu recém tinha pego no sono e meu desejo íntimo era dormir até o meio-dia, mas fui categórica “Claro”. Confesso que não sei de onde veio aquela disposição, mas veio. Mas na correria e ansiedade de sair não achei nada, para ser sincera nem procurei, na hora de sair, passei a mão numa lata de NAN, peguei duas mamadeiras, potes de papinha congelada, um copinho d’ água ou suco (vazio, como sói poderia ser!) e joguei tudo numa bolsona térmica que – evidentemente – não era aquela especialmente comprada para o nenê e sim uma
velha e horrorosa dessas que a gente ganha de brinde/propaganda, no meu caso, da Nissan! Acho que o próximo filho será batizado de Nissan, pois é muito mais prático. Além de ser um nome que serve para homem ou mulher, também poderei dizer que tenho uma bolsa térmica personalizada! Um charme, não?

A verdade é que tudo era muitíssimo mais prático quando o único alimento do Pedro era o leite materno. Essa foi a primeira viagem que eu tive de me preocupar com a alimentação do rapaz, uma chatice que ainda não incorporei na rotina (comer para quê?). Então fui lembrar de toda essa parafernália que eu tinha adquirido quando o rapaz estava na barriga somente ao longo da estrada e aí vieram os inevitáveis pensamentos: “Ah, se eu não tivesse esquecido ‘tal coisa’ agora ia ser perfeito!” e “Minha mãe jamais teria esqueci X ou Y” e, o pior de todos, “minha mãe tinha razão quando disse que era besteira gastar nisso tudo”.

Nos freeshops de Rivera também lembrei muito das minhas coisas que estavam descansando aqui em casa, enquanto eu sofria a ausência delas na viagem. Lá você encontra muito dessa tralha para comprar. Falando nisso, vamos a parte “utilidade pública” do post: logo logo atualizo a seção COMPRAS com todos os detalhes das compras da viagem e, adianto, por incrível que pareça, o foco não era o Pedro e sim a Luiza, minha priminha que está ainda na barriga. Ou seja, o subject será ENXOVAL DO NENÊ (adooooooooooooroooooo-ô-ô-ô)!

Mas toda a minha falta de preparo foi compensada pelo acolhimento da estrada, pelo comportamento nota mil do Pedro e pelas boas idéias do meu marido (Poliana nunca falha!). O mocinho não reclamou nada e, quando ameaçava incomodar, o Diego colocava o DVD da abominável Galinha Pintadinha, que é infalível e que o Diego, pai responsável e prevenido, não esqueceu. Ainda, em Rivera ele se agarrou num brinquedinho coloridíssimo que tem uma direção e marchas simulando o painel de um carro. Claro que comprei, afinal ele fez por merecer e quarta é Dia das Crianças. Na volta ele veio lépido e faceiro “dirigindo” em sua cadeirinha no banco de trás! Uma figura! Também tive minha participação como entertainer do Pedro, com as minhas cantorias e coreografias, pois na falta da
Galinha Pintadinha, a Mamãe Abobadinha está sempre a postos!

O passeio foi tudo de bom! Começando pela primeira parada, a famosa Raabelândia, para quem não conhece #ficaadica. O lugar existe desde que me conheço por gente e desde sempre tem o melhor pastel de beira de estrada do mundo que eu conheço. Deixei o tal pastel para volta pois na minha humilde opinião ele não harmoniza bem com café-com-leite e a minha primeira refeição do dia sempre tem que ter café-com-leite, então pedi um Farroupilha (também ótimo). Lá aquecemos a mamadeira do Pedro e seguimos em frente. Passamos reto por Caçapava, a 2ª Capital Farroupilha, e pela Fazenda (fácil de achar, fica bem depois da curva da árvore mais bonita do mundo, internacionalmente conhecida como “a árvore do Tio Luiz”), depois São Gabriel, terra natal do vô paterno do Pedro.
Na “Terra dos Marecháis” tem outr o tradicionalíssimo posto de beira-de-estrada, acolhedor para mães que precisam aquecer a comida de seus filhos, o “world famous” Batoví! Seguindo, atravessamos a maior ponte do estado do Rio Grande do Sul, sob a praia das Areias Brancas, em Rosário, local onde o pai do Pedro viveu 4 anos de sua infância e neste instante cantarolamos aquele trecho do Canto Alegretense, mesmo estando indo e não chegando e mesmo estando longe do fim da tarde! Foi uma delícia, felicidade total.

O Pedro é de fato um guri privilegiado. Na sua curta existência já conheceu uma parte importantíssima da Geografia e da História do Rio Grande do Sul e da história dos personagens de sua família, além de experimentar um dia numa fazenda de verdade, experiência que eu na minha infância de guria da cidade nunca tive. Brincar de “A Fazenda” foi a parte mais legal da viagem disparado, ele amou de paixão. Ficou bem solto, adorando aquele monte de espaço, andou na grama, brincou com os primos-caninos Margot e Godard e até com um porco ruivo que ainda não foi batizado.

E o mais importante de tudo, teve atenção do primo “mais velho” Nicky, que – entre outras inúmeras qualidades – é o guri mais mimoso deste planeta! A atenção do Nicky deixou o Pedro realizado!
Tenho logo que providenciar um irmão mais velho para ele! É, o Pedro estava radiante caminhando por tudo, encantado com tantas novidades e com tanto espaço. E nós, babando, obviamente!

Mas também não posso deixar de registrar outro acontecimento incrível, uma dessas coisas surreais que só mesmo no meio de uma indiada dessas acontece. O Pedro conheceu o Papai Noel! Não esses de Shopping Centers. Não esses que se fantasiam para entreter as crianças e tirar-lhes os bicos. Ele conheceu o único, o verdadeiro Papai Noel. Aquele que só tem um. E o bom velinho estava a paisana fazendo compras no freeshop (ele também aproveita o câmbio – agora nem tanto – favorável). Mas isso já é outra história que ainda vou contar em detalhes…

Esse letreiro é fantástico

Esse letreiro é fantástico! Aqui nos acolheram muito bem. Banheiros decentes e com trocador. Muito gentis ao esquentaram a mamadeira do Pedro! Esses postos também sempre tem água para chimarrão na temperatura perfeita para repor na térmica.

A ‘Raabeland’ fica no Km 215 da BR 290 perto de Pantano, sei direitinho porque estou com o cartão deles em mãos para distribuir para os amigos!!!

Olha só a independência e desenvoltura do rapaz!

No quarto de brinquedo do Nicky

No quarto de brinquedos que era do Nicky e está esperando a Luiza!!!

Pedro, Nicky e o brinquedo novo

Nicky, Pedro e o brinquedo novo!!!

Pi e Nicky baby

Pi e Nicky bebê, foi ontem!

poltrona fofinha!

Nicky e Godard

Cacunda do Pai, lugar mágico!

Esperando Luiza

Margot e Godard se despedindo

Nanando na estrada, meu pequeno Buda

Kit sobrevivência! Apenas isso já é suficiente para 6 horas de estrada!

1 comentário

Arquivado em Alimentação, Compras, Família, Indiadas Deliciosas, Viagens